Make your own free website on Tripod.com
 

 

VÂNIA MARIA ABATTE
NEP NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS

abatte@terra.com.br
EFEITO KIRLIAN OU EFEITO LANDELL?
Busto de Landell e um livro de sua biografia - O Outro lado das Telecomunicações -  A Saga do Padre Landell - de Hamilton Almeida
ao lado de livros sobre a vida de Semyon Kirlian -  no Museu de Krasnodar na Rússia.
 
 

 

 
 
Monsenhor Roberto Landell de Moura
 
 
Esta tecnologia foi descoberta (oficialmente), em 1939, na Rússia, por Semyon Kirlian e sua esposa Valentina Kirlian. Durante 10 anos, o casal desenvolveu investigações com a máquina de eletrografia e chegaram a convicção de que o reflexo fotografado refletia o estado de saúde bom ou mau do corpo físico. O que foi confirmado mais tarde, entre outras utilidades, depois de cuidadosa observação de biólogos, bioquímicos e físicos russos. Na realidade muito antes do casal Kirlian iniciarem investigações com a eletrografia, já existiam pesquisas e estudos com imagens eletrográficas que se obteve em 1777, pelo físico alemão O . C. Lichtemberg.
Estas imagens foram obtidas pela mobilização de pó fino. Estas imagens só puderam ser gravadas bem depois, com a ajuda do processo Daguerrotipo, (Jacques Daguerre, inventor francês 1787-1851) , a partir daí as pedras foram roladas a beira do caminho, para quem tivesse coragem e genialidade de continuar. No final do século XIX, o resultado destas pesquisas eram conhecidas como "EFLUVIOGRAFIAS", os "efluvistas" como eram chamados na época, eram liderados por um médico francês chamado Henry Baraduc. Este médico desenvolvia estudos e pesquisas juntamente com a sua equipe.
 
Durante muitos anos em que Baraduc e sua equipe trabalharam em Paris, um médico e físico, na polônia, Iodko-Narcovitz, estivera fazendo experiências com sua própria versão de fotografia elétrica. Os dois inventores desconheciam a existência um do outro, até que se encontraram mais tarde. Em meados de 1892, aparecem os primeiros registros eletrográficos usando um fenômeno eletroluminiscente, mas não conseguiu dar continuidade. Narkovitz morre em 1904, deixando um grande trabalho criativo, num momento em que as investigações começavam a impressionar o mundo cientifico.
 
O trabalho de Baraduc, consistia em estudos e pesquisas de fotografias elétricas de mãos e dedos, os resultados eram fotografias que revelavam imagens de coroas, bolhas e manchas em torno do objeto fotografado, que Baraduc batizava de "eflúvios". Apesar de fazer experiências interessantes, o médico francês não conseguiu despertar interesse dos cientistas da época, que alegavam que os efeitos conseguidos nas fotografias não passavam de apenas "calor das mãos" impressionando o filme, e devido a tecnologia em relação a fotografia da sua época, não estar desenvolvida o suficiente para provar o contrário, Henry Baraduc e seus efluvistas caíram no esquecimento...
 
Mas, na mesma época, do outro lado do Oceano Atlântico, no Sul da América do Sul, outro cientista derradeiramente definia, o que os efluvistas estavam procurando e como deveriam procurar, a força vital, como chamavam, mas ainda totalmente indefinida e incompreensível, ao que o cientista brasileiro definiu e chamou de perianto. Este cientista brasileiro, era um padre católico, chamadoRoberto Landell de Moura.
Landell de Moura, conseguiu ir muito além de seus colegas alemães, franceses, poloneses, russos, pois tinha profundo conhecimento de física, química, biologia, filosofia, psicologia, parapsicologia e medicina, e além, de um profundo sentimento religioso. Roberto Landell de Moura, tinha conhecimento principalmente das energias eletromagnéticas, das quais iam além de sua época, tanto que foi o precursor do telégrafo sem fio, da telefonia sem fio , do emissor das ondas de rádio, de um primeiro projeto de um receptor de televisão e da fotografia Kirlian, hoje merecidamente deveria ser chamado e reconhecido cientificamente como "efeito Landell".
 
Entre muitos e outros inventos, tudo isto entre 1890 a 1907. Landell de Moura descobriu em relação a energia sutil e o corpo bioplasmático, é o que quase na totalidade se sabe sobre o assunto, nos dias de hoje. Mas, infelizmente, quem conhece a injusta e atribulada história deste grande cientista, sabe muito bem, que ele não obteve o devido reconhecimento nem tão pouco apoio de nenhum de seus inventos e descobertas, pelo contrário, apenas fez com que aumentasse a sua fama de maluco e de ter pacto com o demônio e demais impropérios das mentes ignorantes dos seus contemporâneos e conterrâneos , vindo a falecer em 1928, sem ser reconhecido, e depois cair em total esquecimento.
 
Trinta e dois anos depois, que Roberto Landell de Moura tinha descoberto o corpo bioplasmático, ou o Perianto, como assim o intitulou, o casal russo Kirlian, através dos mesmos princípios de Landell, descobrem o efeito e recebem as glórias. A máquina eletrográfica se chama atualmente, máquina Kirlian e o efeito que fotografa é o efeito Kirlian ou efeito Landell?
Abaixo transcrevemos na íntegra, os apontamentos de Landell de Moura, relativos ao PERIANTO , estes apontamentos foram transcritos diretamente do famoso CADERNO A , uma espécie de caderneta de anotações escritas de próprio punho, de experiências e observações de Landell, datados de 1907. Esta transcrição, foi feita pelo Jornalista e Escritor B. Hamilton Almeida e faz parte do livro biográfico de sua autoria sobre Landell de Moura, intitulado O OUTRO LADO DAS TELECOMUNICAÇÕES. O caderno A, se encontra atualmente, disponível no Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul, juntamente com demais documentos, que provam a grandiosidade deste cientista Brasileiro.
 
Sob o título de O PERIANTO, padre Landell deixou registrado em seus manuscritos:
1 Todo o corpo está como que envolvido de um elemento de forma vaporosa, mais ou menos densa segundo a natureza ou estado do indivíduo ou ambiente que ele se acha. Esse elemento, quando adquire uma tensão capaz de vencer os obstáculos que se opõe à sua expansão, escoa do corpo humano sob a forma de descargas disruptivas ou silenciosas, tal qual como sucede com a eletricidade. E os fenômenos nestas ocasiões se dão, tem muita analogia com os elétricos estáticos e dinâmicos, com relação aos outros corpos semelhantes.
 
2 Pelo que cheguei à conclusão de que se trata de um fenômeno que constitui uma variedade dos fenômenos produzidos pela eletricidade ou pela causa da eletricidade, do calor, da luz, etc.
 
3 Em todo caso, para facilitar o estudo do elemento R que existe no corpo humano, atribuo-o ao PERIANTO, porque, como o seu nome está dizendo ele é um efeito do elementos R, como a tensão elétrica é um efeito da eletricidade que se acumula em volta dos condutores.
 
4 Não posso atribui-lo à eletricidade existente no corpo humano porque, como veremos em outros lugares, se de um lado oferece muita analogia com a eletricidade, por outro lado apresenta-se com certas e determinadas características que me obrigaram a distingui-lo, ou dar-lhe o nome de PERIANTO ao efeito e à causa do elemento R, isto é, da vida de relação entre o psiquismo superior e o inferior.
5 O PERIANTO é por si invisível; mas, por intermédio de certas luzes, pode tornar-se visível, e até mesmo ser fotografado, se usarmos ou intercalarmos entre o corpo, cujo o PERIANTO estudamos, e a luz especial, uma prancha ou papel apropriado.
 
6 Um pequeno animal, preferivelmente de pêlo curto, posto nestas circunstâncias e dentro de um tubo apropriado, se mediante a uma máquina pneumática a mercúrio for se fazendo pouco a pouco o vácuo, ver-se-á, quando o animal permanecer quieto, em estado de agonia, que na prancha se desenhará, sob forma vaporosa, a figura do animal. Ver-se-á mais, que, ao expirar o mesmo, essa forma vaporosa elevar-se-á na prancha.
 
7 - Poder-se-á ver também diretamente quando, mediante certas luzes, se puder conseguir o fenômenos da interferência dos raios. E há casos em que, quando a condensação se torna bem densa, com certas e determinadas luzes, removendo o animal, em que ele se achava permanecerá, por instantes, o seu PERIANTO, formando um duo dele, que, não rara às vezes, em vez de se apresentar sob a forma branca vaporosa, se mostra com pacto e colorido, com as cores naturais do animal, devido também à luz. O que prova que o PERIANTO é devido a uma vibração de um elemento mais sutil do que o ar.
 
8 Do que acabamos de dizer, podemos tirar os seguintes corolários:
1 que o PERIANTO, em circunstâncias apropriadas, pode ser fotografado, justificando o seu nome, isto é, coisa que envolve o corpo humano sob uma capa ou zona vaporosa, mais ou menos densa;

2 que ele pode ser transportado da placa natural da retina para a de uma câmara fotográfica. E daí a seguintes conclusões:

que no corpo humano existe um elemento que dá origem aos fenômenos do PERIANTO e conseqüentes corolários;

que pode ser fotografado direta ou indiretamente;

que certas qualidades de luzes influem para que ele possa ser fotografado, como também para que se torne invisível a olhos nus;

que ele pode, à semelhança de um duo do indivíduo representá-lo sob formas unicamente vaporosas, ou também com as cores naturais;

que, se este indivíduo estiver sob a ação do hipnotismo de qualquer outro estado anormal capaz de mudar-lhe a personalidade, o seu PERIANTO, neste caso, apresentará as feições da personalidade que ele supõe ser no momento;

que, devido ao PERIANTO, não repugna que, em certos estados anormais, o indivíduo possa apresentar o seu duo sob a forma vaporosas mais ou menos condensadas e mais ou menos duráveis, consciente ou inconscientemente, como geralmente sucede, junto a si ou distanciado;

que, segundo graus de condensação, poderá tornar-se palpável e resistente simulando todos os fenômenos da vida psicorgânica devido ao prolongamento dinâmico, não sendo o que ele então apresenta senão um reflexo do corpo do indivíduo que o produziu, de forma que se o indivíduo falar ou mover qualquer parte do corpo enquanto o seu perianto age aparentemente, este último deixará de agir incontinenti;

que tanto os bons como os maus anjos podem deles se utilizar para simular os fenômenos da vida de relação, mas que neste caso (a exceção de um milagre) é que se verifica o que acima dissemos: quando o PERIANTO, sob a ação do bom ou do mau espírito, age, se o corpo do indivíduo que o produziu age, ele deixará incontinenti de agir, precisamente na forma que o indivíduo age;

que, provavelmente, o fenômeno da bilocalização tem seu princípio na condensação do PERIANTO, quanto o fenômeno se opera naturalmente, muito embora por leis ainda não bem conhecidas. E muitos outros fenômenos como o do hipnotismo, do magnetismo, do espiritismo, dos sonhos em ação, do sonambulismo, etc.
 

Padre Landell não ficou só na teoria. Ele conseguiu fotografar o efeito . E escreveu : "A radioatividade humana existe, como o amigo poderá verificar examinando estas radiografias produzidas pela radioatividade dos meus dedos polegares. À causa da radioatividade humana, dei o nome de estenicidade, para distingui-la da eletricidade, muito embora se assemelhem. Entre as irradiações emitidas pelos meus dedos polegares, há algumas dotadas de um poder indutor e de penetração. Esta radiografia, muito antes de entrar para o banho revelador, já mostrava os contornos e matizes produzidos pela radioatividade do corpo.
Caso singular: esta mesma radiografia, depois de fixada e seca e examinada com o microscópio mostrava um sem número de pontos luminosos, os quais emitiam, constantemente cintilações semelhante às do Radium. "E mais: "É precisamente na radioatividade humana, na sugestão e nas correntes nervosas que vamos encontrar a explicação para as curas prodigiosas e tantos outros fatos aparentemente maravilhosos, tais como a .............." (ilegível), a transmissão do pensamento ou sugestão mental, o ......... (ilegível), etc." Landell também afirmou que : "A Radioatividade do corpo humano, como a eletricidade, pode ser transmitida através de um fio metálico e impressionar uma chapa na estação receptora".
 
O efeito Kirlian ou efeito Landell, fotografa o reflexo que as ondas de alta freqüência causam quando incidem sobre qualquer forma de vida ou objeto a ser fotografado. Este estímulo elétrico torna visível a energia que circunda o corpo físico e o objeto a ser fotografado, normalmente invisível ao olho humano, esta energia é conhecida pelos esoteristas como Aura e pelos cientistas como corpo bioplasmático.
O efeito Kirlian ou efeito Landell, nos dias de hoje é reconhecido pela ciência, e encontra portas abertas na Associação Norte Americana de Medicina, no Exército e na Marinha dos Estados Unidos. Na Rússia, o efeito Kirlian ou Landell é utilizado para identificar pragas nas plantações, identificar sementes de má qualidade, melhorando a quantidade nas safras de cereais.
 
No Brasil, já existe o diagnóstico Oncológico Kirliangráfico, embasado nos trabalhos dos Drs. Júlio Grott e Hélio Grott Filho, do Hospital das Forças Armadas de Curitiba. Este trabalho foi publicado na Edição Técnico Cientifica número 04, de outubro/dezembro de 1987, pelo Hospital das Forças Armadas de Brasília, sendo este o primeiro órgão oficial a publicar a referida matéria na América do Sul.
Estas são algumas das atuais aplicações da eletrografia ( efeito Kirlian ou efeito Landell), já comprovadas, como se vê abaixo:
Esta verdadeira ferramenta da ciência, a máquina de eletrografia ( efeito Kirlian ou efeito Landell), ainda tem um grandioso destino a cumprir num futuro próximo, antecipado pela ciência através do médico norte-americano Dr. Richard Gerber, uma das maiores autoridades em Medicina Vibracional na atualidade. Segundo ele, "os princípios aprendidos a partir da técnica de imagens por Ressonância Magnética, combinadas com as informações proporcionadas pela fotografia Kirlian ou fotografia Landell (eletrografia) talvez possam produzir em pouco tempo uma das maiores revoluções na área da realização de diagnósticos: a formação de imagens da anatomia energética sutil humana, capacitando os médicos da nova era a encontrarem os verdadeiros precursores da doença e da saúde e não mais apenas as conseqüências de um destruidor processo de doença, uma combinação dos sistemas de formação de imagens por Ressonância Magnética, Tomografia computadorizada e a Eletrografia nos permitirá ir além das atuais tecnologias da Ressonância e penetrar ainda mais na estrutura energética sutil dos seres humanos ( 1977)."
 
Fotografia Kirlian ou fotografia Landell é uma técnica reconhecida pela ciência, como eletrografia é desenvolvida com pioneirismo no Rio Grande do Sul, pela pesquisadora e professora Vânia Maria Abatte, há mais de 15 anos, onde desenvolve pesquisas e estudos dentro das áreas da psicologia do exercício com técnicas de relaxamento, bioenergética, cromoterapia, parapsicologia, psicobiofísica e nas atividades e comportamentos dos campos de energia sutil no organismo humano. Técnica especializada em foto Kirlian, ou foto Landell,Vânia Maria Abatte, também é formada em Educação Física e Pós-graduada em Psicologia do Exercício pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul ( UFRGS).
 
Atualmente a pesquisadora e professora, desenvolve atendimentos individuais no NEP Núcleo de Estudos e Pesquisas. Os atendimentos são agendados pelo fone (51) 212 5191 centro - Porto Alegre. Para fazer a sua foto aura, ou Kirlian /Landell, você gasta apenas do seu tempo, 1 minuto, paga um valor X, e retorna após 1 semana para a interpretação verbal e por escrita com o diagnóstico de sua saúde: física, emocional, mental e espiritual. Se houver necessidade de recomendação para tratamento, bem como, tratamentos médicos, psicológicos, terapias alternativas (Reiki, massagens Shiastsu, Yoga, meditação, cromoterapia, florais, etc.) atividades físicas e outras orientações mais, fique tranqüilo, que terás todas as informações e encaminhamentos necessários. O restante dependerá exclusivamente de você .
 
Recentemente, Vânia Maria Abatte, realizou exposição inédita no estado , na Câmara de Vereadores de Porto Alegre, foram expostas fotos Kirlian/Landell, de principais casos e registros de pessoas sadias, doentes, bem como de animais, vegetais e metais. Demonstrou a técnica de eletrografia e fez fotografias no local.
Descubra através da sua foto aura, como anda a sua saúde, sua energia. Dê-se um oportunidade de conhecer-se melhor. Lembre-se sempre, que não somos apenas uma parte, um membro e sim um todo dessa parte, desse pequeno membro.
 
 

 

 

Vania Maria Abatte ao lado do escritor Otto Albuquerque ( A Luz Que Fala)
Evento: Radioexposição - Tributo à Landell de Moura
Painel comemorativo ao Septuagésimo Segundo ano do falecimento de Landell de Moura
Casa de Cultura Mário Quintana - Porto Alegre - RS
Painelistas: Otto Albuquerque, Mário Rodrigues, Gen. Ruy  de Paula Couto e Alberto Volkmar Christensen
Coordenador do Evento: Ivan Dorneles Rodrigues (PY3IDR) -
Retornar à página principal